quarta-feira, 11 de março de 2015

Assim é uma boa mãe

Olá pessoal

Navegando do feed de notícias de minha pagina Charmosinha Baby, me deparei com essa linda mensagem postada pela Julia Oliveira Fotografia


Assim é uma boa mãe
Você já se perguntou como deveria ser uma boa mãe? Aqui está a resposta
Se você é mãe, provavelmente, em algum momento já se perguntou se está fazendo seu papel bem e, com certeza, também já fez esta velha pergunta: eu sou uma boa mãe? Bem, a blogueira Lauren Hartmann nos apresenta uma lista de coisas que toda boa mãe faz, então você terá a sua resposta de uma vez por todas:
As boas mães amamentam seus bebês... por 3 anos... por 3 meses... por 3 dias. Elas complementam com garrafas de leite doadas ou com fórmula. Somente amamentam com o peito ou com mamadeira. Boas mães dão aos seus filhos alimentos vegetarianos ou orgânicos. Pedem comida chinesa e dão biscoitos às crianças no carro. Boas mães alimentam seus filhos.
Boas mães têm casas imaculadas, cozinhas brilhantes e pisos de madeira tão limpos que você poderia comer neles. Elas têm geladeiras com marcas de dedos e migalhas debaixo da mesa. Elas limpam suas janelas uma vez por semana. Boas mães não são capazes de se lembrar da última vez que limparam suas janelas. Boas mães fazem de sua casa um lugar feliz para os seus filhos.
Boas mães têm filhos impecavelmente vestidos com a última moda. Têm filhos que usam vestidos de princesas e pijamas de super-heróis em público. Elas se maquiam e se penteiam sozinhas diariamente e vestem roupas de verdade. Boas mães esperam seus filhos na parada do ônibus escolar com roupa esportiva e cabelo despenteado, sem o conforto seguro de um carro. Boas mães fazem o melhor que podem com o que têm.
Boas mães têm filhos que fazem grandes birras na fila do supermercado e têm filhos que sentam em silêncio e pacientemente durante a missa de domingo. Elas têm filhos que comem com calma e de forma educada e que podem ser levados a qualquer restaurante e se comportam bem. Boas mães têm filhos bagunceiros para comer e que jogam comida em restaurantes. Boas mães têm dias bons e ruins, lutas e desafios.
Boas mães usam o método sem fraldas ou fraldas de pano ou as descartáveis mais baratas que podem encontrar. Elas ensinam seus filhos a irem ao banheiro cedo... ou tarde. Boas mães compartilham a cama. Boas mães deixam seus filhos em seu próprio quarto desde cedo. Elas ficam em casa, trabalham de 5 a 9 horas em um escritório ou trabalham em home office. Boas mães, todas, têm trabalho o tempo todo.
Boas mães enviam seus filhos para uma escola pública... ou para uma privada. Boas mães fazem trabalhos manuais e aparecem com atividades criativas para fazer com as crianças. Elas permitem que seus filhos façam suas próprias atividades. Há boas mães que não deixam seus filhos ligarem a televisão. E também há boas mães que deixam seus filhos assistirem Frozen mil vezes por semana para poderem enviar alguns e-mails de trabalho. Boas mães amam seus filhos, boas mães precisam de uma pausa.
Boas mães envolvem seus filhos e fazem orações com eles à noite. Boas mães apenas apagam as luzes e saem rapidamente, prontas para um copo de vinho. Boas mães leem para seus filhos 87 livros por dia. Boas mães deixam seus filhos com um iPad para terem alguns minutos de paz e (semi) tranquilidade. Boas mães às vezes gritam com seus filhos. Boas mães falam calmamente com as crianças, mesmo quando eles ignoram. Boas mães não são perfeitas.
Boas mães têm dias bons e dias ruins. Alguns dias estão loucas por seus filhos... outros dias (muitos dias), não podem esperar que chegue a hora de dormir. Alguns dias, elas vão para a cama com a sensação de que fizeram um bom trabalho, mas em outros se sentem mães fracassadas, contribuindo para futuras terapias de seus filhos. Boas mães não têm todas as qualidades. Não assam biscoitos todas as tardes depois da escola ou fazem cozidos diariamente. E se fazem, tudo bem. A maternidade é bonita e única, cheia de altos e baixos e, enquanto você fizer o seu maior esforço, simplesmente: você está fazendo bem.
                                     




Espero que vocês gostem, porque mãe é assim, guerreiras que sempre preocupam com seus filhos.

                                                                           Bianca Costa
                                                                  www.charmosinhababy.com.br  





quarta-feira, 4 de março de 2015

E quando deixamos de ser filhos para sermos pais?


Quando nasce um bebê, nasce toda uma reconfiguração familiar. Os filhos passam a ser pais, os pais passam a ser avós, e um bebê nasce cheio de lugares e papéis a preencher: filho, neto, sobrinho, afilhado, etc. Aos pais cabe o papel de cuidar, educar, e adquirir responsabilidade sobre àquela fica que está sob tutela deles, adultos. E é consenso que aos avós cabe o papel do cuidado com mais liberdade, do afeto, da brincadeira, de transgredir as regras dos pais, não é? Bom, nem sempre  [ Ler mais…]

Este é um trecho do post que achei super interessante, abordado no Blog Mamãe é Psicóloga - por Raisa Arruda , sobre quando deixamos de ser filhos para sermos pais, é um turbilhão de coisas, de situações, de atitudes que ás vezes não sabemos como nos posicionar diante de nossos familiares não é mesmo?

Convido vocês a lerem na íntegra esta matéria que vivencia nosso dia a dia de filhos e pais.


Um grande beijo!

Bianca Costa
Instagram: @Charmosinha_Baby